terça-feira, 28 de dezembro de 2010

BONSAIS QUE ESTOU PREPARANDO

Môsar Lemos

 Paineira rosa com 6 anos

            Se eu tivesse começado há mais tempo, provavelmente hoje eu teria árvores fantásticas, mas só o envelhecimento vai trazendo a sabedoria e a capacidade de admirar e se encantar com coisas simples, como estas arvorezinhas. Como eu pretendo viver até os 80 anos, acho que vou vê-las como nas fotos de livros japoneses. O meu bonsai mais velho é um fícus de 18 anos. Comecei a trabalhar nele em 1992, assim que terminei a faculdade. Hoje tenho ipês, flamboyants, paineira-rosa, jabuticabas, extremosa entre outros. 

Ipê amarelo com 12 anos

Um pouco da arte e filosofia
Não existem propriamente regras, no sentido rígido da palavra, para produzir um bonsai. A palavra significa “plantado em um vaso”, assim uma plantinha por menor que seja no jardim não é um bonsai, porque não está no vaso! Simples, não? 

Flamboyant com 8 anos

Existem algumas regras que podem ser seguidas e que são muito úteis para as pessoas que ainda não desenvolveram a harmonia visual pra discernir, por exemplo, se um bonsai está ou não equilibrado na bandeja. São apenas orientações básicas para compor um arranjo visualmente agradável, até que a pessoa faça sua própria arte. Afinal, fazer um bonsai é desempenhar uma atividade artística, que depende da capacidade de observar a natureza e da criatividade de cada um. 

Jabuticabeira com 7 anos

Acontece que depois de várias tentativas, as pessoas acabam encontrando as relações certas entre tamanho e forma que resultam em uma harmonia visual coerente. É isso que faz com que o bonsai seja visualmente harmônico e equilibrado para que possa transmitir esse equilíbrio para as pessoas. Na verdade, essas regras têm a ver mais com harmonia visual. É costume dizer que o bonsai é uma árvore em miniatura, porém não é o caso de afirmar o que é correto ou incorreto. Na verdade, você está representando em miniatura uma árvore no seu momento de maior esplendor. Lógico, em tamanho é uma árvore pequena, mas você tem que transmitir à pessoa que está olhando a idéia de que se trata de uma árvore adulta. 

Figueira com 18 anos

O bonsai não é propriamente uma árvore anã e sim a representação em miniatura de uma árvore grande. 

Extremosa com 4 anos

Muitas coisas são ditas a respeito dos bonsais como segredos, técnicas especiais, etc. Fui aprendendo que as coisas são mais simples do que parecem. Na verdade funciona muito o bom senso. É uma planta que precisa de água, luz e sol na medida certa. Como a quantidade de substrato (terra) é pequena, pois o bonsai está em um vaso ou bandeja,  há uma tendência natural em esgotar os nutrientes presentes no solo. Logo ele precisa ser adubado periodicamente, o que pode ser feito a cada 15 dias ou mensalmente. O bonsai segue o ciclo normal de uma árvore grande. Floresce, frutifica, cresce, para de crescer, perde folhas, coloca folhas novas, etc. Tudo como manda a natureza de cada espécie. Você precisa conhecer a espécie que você quer cultivar. 

Figueira 

Poda de raízes, poda de galhos, poda de folhas, troca de substrato, mudança de vaso são procedimentos relativamente simples e que devem ser feitos periodicamente (leva alguns anos para mexer de forma mais drástica na planta). Muitas das regras são as mesmas aplicadas ao jardim, ao cultivo de fruteiras e ornamentais. A diferença é que tudo é feito em escala muito pequena. Experimente começar. Tenha algumas horas semanais para você e suas arvorezinhas!


 Meus bonsais quando eu fizer 80 anos!


2 comentários:

  1. Todas as atividades que nos permitem praticar a paciência com o "outro" são úteis para o "crescimento" de nós mesmos.

    ResponderExcluir
  2. Cara, é tudo pré-bonsai, num tem nenhum bonsai aí....

    ResponderExcluir